TEM A CERTEZA QUE PRETENDE APAGAR A CONTA?
VOLTAR

Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030

Com 26 referências à economia circular, este é o documento enquadrador das opções e prioridades que deverão nortear a recuperação dos efeitos económicos adversos causados pela atual pandemia COVID-19.

A Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, elaborada pelo Prof. António Costa Silva, constitui um documento enquadrador das opções e prioridades que deverão nortear a recuperação dos efeitos económicos adversos causados pela atual pandemia. É a partir desta visão estratégica que será desenhado o Plano de Recuperação, a apresentar à Comissão Europeia, com vista à utilização dos fundos europeus disponíveis


A alocação desses fundos deve assentar num pensamento estratégico sobre o futuro do país, que é fornecido pelo documento em anexo. Trata-se, pois, de formular uma visão para Portugal no horizonte de uma década, visão essa que enformará a estratégia de recuperação económica da crise provocada pelo novo coronavírus, servindo ainda de referencial para o modelo de desenvolvimento do país num contexto pós-Covid. 


O documento apresenta 10 eixos estratégicos em torno de

  • (i) uma Rede de Infraestruturas Indispensáveis,
  • (ii) a Qualificação da População, a Aceleração da Transição Digital, as Infraestruturas Digitais, a Ciência e Tecnologia,
  • (iii) o Setor da Saúde e o Futuro,
  • (iv) Estado Social,
  • (v) a Reindustrialização do País,
  • (vi) a Reconversão Industrial,
  • (vii) a Transição Energética e Eletrificação da Economia,
  • (viii) a Coesão do Território, Agricultura e Floresta,
  • (ix) um Novo Paradigma para as Cidades e a Mobilidade e
  • (x) Cultura, Serviços, Turismo e Comércio.

 

A descarbonização da economia, a promoção da economia circular, a valorização do território e do capital natural, devem estar entre os princípios orientadores desta recuperação. Por isso este documento agora em debate reafirma o compromisso de neutralidade carbónica e a trajetória de redução de emissões para atingir este objetivo, bem como a concretização do Plano Nacional de Energia e Clima e as suas metas para 2030 e do Plano de Ação para a Economia Circular. Destaca-se ainda o Plano de Ação para a Adaptação às Alterações Climáticas que estabelece as principais vulnerabilidades e as linhas de ação para as enfrentar. Todo o Plano de Recuperação deve ser alinhado com os objetivos do Pacto Ecológico Europeu.

 

Pretende-se que o debate em torno desta Visão Estratégica seja o mais abrangente e participado possível. Por isso convidam-se todos os interessados a enviar, até 21 de agosto de 2020, as suas ideias, sugestões, visões e contributos para o endereço eletrónico plano.recuperacao@pm.gov.pt

 

 

Fonte: