VOLTAR

OCDE e Nações Unidas lançam relatórios sobre consumo de materiais e remanufatura

Foram apresentados durante o Forum Mundial de Economia Circular a decorrer no Japão, dois importantes relatórios ligados ao tema da economia circular.

 

O primeiro, da OCDE, o Global Material Outlook 2060, um relatório que apresenta projeções globais do uso de materiais e das suas consequências ambientais, fornecendo uma perspectiva quantitativa para 2060 do consumo a nível global, setorial e regional para 61 materiais diferentes (p.ex. biomassa, combustíveis fósseis, metais e minerais não-metálicos).

 

O relatório apresenta os determinantes económicos que para a dissociação entre crescimento económico e extração de materiais, e avalia como as mudanças projetadas na atividade económica setorial e regional influenciam o uso de diferentes materiais. As projeções incluem materiais primários e secundários, que fornecem uma compreensão mais profunda sobre o que impulsiona as sinergias e as compensações entre extração e reciclagem.

 

O relatório projeta a duplicação do consumo de matéria prima, a nível global, entre hoje e 2060. A população e o crescimento convergente do PIB per capita impulsiona o crescimento do consumo. No entanto, as mudanças estruturais, especialmente em países não membros da OCDE, e as melhorias tecnológicas atenuam parcialmente esse crescimento. Os metais e minerais não-metálicos são projetados para crescer mais rapidamente do que outros tipos de materiais.

 

Já no caso da UNEP - International Resource Panel, o relatório apresentado denomina-se "Re-defining Value – The Manufacturing Revolution: Remanufacturing, Refurbishment, Repair and Direct Reuse in the Circular Economy", que explora um dos aspetos chave na economia circular: a retenção de valor dentro dos sistemas de produção-consumo económico. Os processos de retenção de valor, como a remanufatura, a reforma, a reparação e a reutilização direta, permitem, em graus variados, a retenção de valor e, em alguns casos, a criação de novo valor, tanto para o produtor quanto para o cliente, com reduzido impacto ambiental.

 

O relatório da UNEP faz a ligação entre o potencial de eficiência de recursos, por meio da economia circular e dos processos que retêm o valor do produto dentro dos sistemas, com um foco particular nas medidas de política necessárias. O relatório é um dos primeiros a quantificar o estado atual e os possíveis impactos associados à inclusão de processos de retenção de valor nos sistemas económicos industriais. A avaliação feita aplica os diferentes processos de retenção de valor a uma série de produtos dentro de três setores industriais e quantifica os benefícios em relação ao produto original, tais como a necessidade de material, a energia utilizada, os resíduos gerados e a geração de emprego.